E-mail
Assine já!
Notícias Unisite

20/11/2009 - 08:14:20

Consciência Negra
Alunos das escolas municipais discutem preconceito e racismo
ALTERA O
TAMANHO DA LETRA



O Dia da Consciência Negra foi estabelecido em homenagem ao Zumbi dos Palmares que foi um dos líderes do Quilombo dos Palmares, o núcleo mais resistente à escravidão do negro no país. Mais de 700 municípios irá comemorar o Dia da Consciência Negra, inclusive a cidade de Tupã, que contará com algumas apresentações nas escolas da rede municipal.

Os professores da Rede Municipal desenvolveram o tema sobre preconceito por dois meses nas salas de aula, e como fruto desse trabalho as crianças irão apresentar e expor suas atividades nas escolas.

Atendendo a Lei nº 10639 de 9 de Janeiro de 2003 que estabelece a inclusão da temática “História e Cultura Afro-Brasileira” no currículo de ensino, os alunos do 2º turno da EMEF “João Geraldo Iori”, em suas aulas de Ensino da Arte, juntamente com a professora Valéria B. Pereira Gomes, realizaram diversas atividades pertencentes ao Projeto denominado “A cor da Cultura”.

Dentre essas atividades foram trabalhados a oficina de dobraduras referentes à fábulas, contos e lendas africanas; leitura de obras de arte; estudo e pesquisa sobre o Hino à Negritude; acrósticos.

Os alunos também desenvolveram trabalhos com música; informações sobre a culinária afro-brasileira; discussão sobre a luta do líder negro Zumbi dos Palmares; demonstração de golpes de Capoeira e , para finalizar o respectivo projeto, as crianças fizeram uma produção de texto destacando o que aprenderam nas aulas de artes.

Vale lembrar que o respectivo projeto teve como objetivos, além da contribuição para formação da cidadania do aluno; propiciar o resgate da herança africana proporcionando a valorização da cultura negra através de expressões artísticas.

Textos de alunos da EMEF João Geraldo Iori

Aulas de artes, uma lição de vida

Começamos o projeto A cor da Cultura com a professora Valéria e fizemos várias atividades como: diagnóstico sobre preconceito; dinâmicas; acróstico sobre Capoeira; filmes sobre racismo, etc.

O objetivo foi aprender tudo isso e refletir sobre nossas atitudes. Eu gostei muito de aprender sobre a Cultura Afro-Brasileira. Daqui para frente vou pensar duas vezes antes de agir. Esse projeto foi como uma lição de vida para mim...

Aluna: Talissa da Silva Penha Fernandes – 4ª E

A Cultura Afro-Brasileira

A cultura Afro-Brasileira é uma mistura de duas culturas: africana e brasileira. Aprendemos que o racismo não é só preconceito sobre a cor da pessoa, também são xingamentos e apelidos maldosos. Fizemos junto com a professora de artes um acróstico com as letras da palavra Capoeira, não só com palavras e sim frases. Assistimos filmes que nos ensinou como evitar o racismo. Eu também estou começando a dançar a Capoeira. É uma dança que exige muita agilidade e também inteligência para saber qual movimento fazer. Com tudo isso, aprendemos que nós somos um igual ao outro; não importa a cor; importa o que tem no coração...

Aluno: Eduardo Decioli – 4ª E

Você sabe o que é Racismo?

Bem, nesse ano eu aprendi muito mais sobre Racismo. Antes, eu achava que era apenas xingar uma pessoa de preto. Mas não, o Racismo também é discriminar as pessoas de outras formas. Nesse ano, o que mais me chamou a atenção foi o filme sobre o preconceito racial que nos ensinou que para ser legal não tem que ver pela cor da pele mas sim por dentro de cada um. Também aprendi muitas coisas mais...

Aluno: Wesley da Silva Vasques – 4ª E

Tudo o que eu aprendi nas aulas de artes

Eu aprendi que nós nunca devemos julgar os negros; os cadeirantes; os com deficiência nos olhos, etc. Nós também assistimos filmes sobre negros; fizemos dobradura do conto africano: O leão e o coelho; estudamos sobro o Hino à Negritude, etc. E assim foram as aulas de Artes: cheias de amor, paixão...

Aluna: Eduarda Elias Pereira – 4ª F

O Racismo

Todo esse ano eu vim me esforçando para tirar notas boas. E todos esses dias eu aprendi coisas diferentes e eu quero falar um pouquinho sobre elas: aprendi que a gente não pode ser racista nem preconceituoso. Fizemos dobraduras e várias outras coisas que ajudaram a nos desenvolver melhor e a fazer as coisas corretamente...

Aluna: Cynthia Caroline Ignesta – 4ª F

Preconceito

O preconceito é muito feio. Deus criou o negro para ser um ser humano não um rechaçado pelas pessoas e escravo. Ele tem que ser livre.... Todos têm que ser iguais!!! Eu aprendi que se uma criança é negra, você tem que brincar com ela não deixando-a de lado...

Aluna: Camila Fernanda Nogueira de Moura – 4ª F